Supremo adia votação sobre liberdade de Lula
05/12/2018 08:52 em CLUBE Noticias

Supremo adia votação sobre liberdade de Lula

 

Eu e você no STF

 

Irineu Rodrigues

 

O cardápio principal do jornalismo durante o dia de ontem foi o julgamento no Supremo Tribunal Federal do pedido de liberdade para o ex-presidente Lula. Foi a quinta tentativa de colocar o petista em Liberdade. Isso mesmo, em ação o Plano E, já se trabalhando o F, a prisão domiciliar. Aliás, cumprir a pena em casa é o Plano Z. Todo tempo se ganha possibilita o ganho de novas ideias. A propósito, este Plano E, por exemplo, surgiu de um fato novo, a nomeação deMoro para o Ministério da Justiça. E assim segue o jogo: enquanto um trabalha o Plano E, outro pensa no F e alguém articula um G. Já temos hoje no Supremo novo pedido da Folha de São Paulo para entrevistar Lula. 
O Judiciário brasileiro é manhoso ao extremo. Do mesmo jeito que Moro alega na sentença que Lula ganhou o tríplex de Guarujá em negociação de propina, o Habeas Corpus em julgamento no STF é uma insinuação de que o juiz condenou Lula para facilitar a eleição de Bolsonaro, e que tal sentença foi vendida ao preço do cargo de Ministro da Justiça. Se tiver a pedra esse povo consegue fazer a fumaça, e ao redor dela passa o resto da vida aquecendo suas esperanças.
Imaginemos, agora, como funcionam as coisas num Supremo Tribunal Federal em que eu seja um juiz, e Vossa Excelência, meu leitor, um outro. Portanto vamos dialogar sobre uma votação: 
- Eu conversava há pouco com um interlocutor do ex-presidente, e ele me lembrava dos favores que emprestou a Vossa Excelência, e até julgou justo a retribuição neste momento que ele tanto precisa do seu voto! E Cuba continua mandando pra ele aquele valor do Mais Médicos...ele tá preso, mas não falta grana...!!!
- Meu Deus! O que faço? Eu preciso mesmo de mais um pouquinho, mas esse povinho tá de zoião em nós!!! Vossa Excelência que se cuide... se a gente continuar pisando na bola...você sabe...o filho desse presidente novo falou que só precisa de um cabo e de um soldado!!!
Pois é! Na hora de justificar suas decisões nossos juízes sabem que suas longas cantigas servem apenas pra boi dormir por que o voto já foi discutido e definido nos bastidores. È o jogo que começa com o placar definido. Ontem foi 3 x 2! Os advogados pediram para o julgamento ser levado ao plenário por que sabiam da irredutibilidade de três dos cinco juízes da Segunda Turma. No mesão de 11 a rodada começaria com os mesmos 3 x 2, mas, com a chance de negociar bem ampliada, ou seja, seis votos em aberto. Vencidos novamente por 3 x 2, meteram a mão na tampa do caixão com um pedido de vistas, ou seja, jogo definido não pode acabar. Qualquer tempo que se ganha, mesmo que não se consiga ganhar novas ideias, prorroga-se o tempo de ganhar a padaria de cada dia..

COMENTÁRIOS