Aparecidense e Vila continuam na frente perseguidos por Atlético e Goiás
06/03/2017 08:30 em CLUBE Noticias

Aparecidense e Vila continuam na frente perseguidos por Atlético e Goiás

O Atlético-GO venceu o Itumbiara por 3 a 0, neste domingo, fora de casa, pela oitava rodada do Campeonato Goiano. Os gols foram do meia Jorginho, que fez dois – um em cada tempo - e do atacante Júnior Viçosa. Com o triunfo, a equipe da Série A do Campeonato Brasileiro foi a 14 pontos, mas, se manteve em segundo lugar do grupo B, pois, o Aparecidense também venceu fora de casa, o Crac por 1 x 0. Curiosamente os dois líderes da Chave B impuseram a Crac e Itumbiara os dois últimos lugares da Chave A, e o título de pior campanha da competição. Cada um tem apenas cinco pontos.

O Vila Nova manteve a liderança da Chave A com uma vitória, de virada, sobre o Rio Verde por 2 a 1. O gol decisivo foi de Wesley Matos aos 49 minutos do segundo tempo.

O Goiás também venceu. Fez 4 x 2 sobre o Goianésia, mas a equipe precisa de um tropeço do Vila para tirar a diferença de 3 pontos. E depois de sete jogos o Anápolis conseguiu sua primeira vitória. A vítima foi o Iporá, que levou 2 x 0 em casa. Mesmo com a derrota o Iporá se manteve em terceiro lugar com 8 pontos.
Agora, o Ipora irá viajar até Aparecida de Goiânia, onde enfrenta a Aparecidense na próxima rodada. A partida será no próximo sábado, 11, no estádio Anibal Batista. O Galo da Comarca volta para o estádio Jonas Duarte, onde recebe Crac, no domingo, dia 12.

O Goiás deve decidir nesta segunda-feira o caso Walter. A tendência é o atacante ser demitido por justa causa. Foi aberta uma sindicância interna, que caminha para esta decisão. Além disso, o goleiro Mateus, de 22 registrou boletim de ocorrência policial acusando o atacante de lesão corporal.

 

Mais que um título, a ressurreição do clássico

 

Flamengo e Fluminense fizeram ontem o Rio de Janeiro um clássico para ressuscitar a tradição do Fla-Flu. Um jogo elétrico no primeiro proporcionou 5 gols ao torcedor, sendo 3 do Fluminense e 2 do Flamengo.

Aos 4 minutos, Diego cobrou falta na barreira e no rebote, a bola sobrou para Wellington Silva que saiu do campo de defesa em alta velocidade, se livrou de Rafael Vaz e bateu na saída de Muralha. Quatro minutos depois, Pará cobrou falta, Júlio César falhou na saída de gol e, na sequência Arão marcou. Outra falha de defesa tricolor, permitiu a Guerrero cabecear para o chão e, no rebote de Júlio César, Everton fez a primeira virada do jogo. Depois de sofrer a virada, Flu buscou a virada. E o empate veio numa cobrança de pênalti de Henrique Dourado (Guerrero tocou com a mão na bola). O terceiro gol veio depois de Wellington lançar Lucas. Livre, o lateral penetrou e tocou na saída de Muralha.

 

Na etapa final, o ritmo alucinante do primeiro tempo não se repetiu. Em vantagem, o Fluminense procurou cadenciar o jogo, valorizando a posse de bola. Ao Flamengo não restava outra alternativa do que se expor aos contra-ataques. Até que conseguiu uma falta, de Richarlison em Pará, na entrada da área. Guerrero bateu com maestria, no canto esquerdo de Júlio César, que nem se mexeu. Mas, o empate veio aos 40 minutos e a decisão acabou indo para os pênaltis: Lucas, Henrique, Marquinho e Marcos Junior marcaram e deram o título ao Fluminense. Para o Flamengo, Diego e Guerrero marcaram, mas Rever e Rafael Vaz perderam. 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!