Após aprovação de OS sete vereadores do sim deixam plenário sob escolta policial
04/09/2019 03:35 em CLUBE Noticias

Após aprovação de OS sete vereadores do sim deixam plenário sob escolta policial

Público enfrenta a polícia – perseguição por causa de voto faz vereador chorar no plenário – vereador muda três vereador muda três vezes e vira chacota nas redes sociais

A Câmara Municipal de Minaçu realizou ontem a mais polêmica reunião de toda sua história. A votação de um Projeto de Lei que transfere para uma Organização Social a administração do Hospital Municipal teve vereador ameaçado de ser retirado do plenário pela polícia, choro de vereador por perseguição política em função do voto contrário ao projeto do Executivo, confronto entre policiais e manifestantes e uma espetacular manobra por votos envolvendo o recém empossado Edmílson do Filó.

O projeto se arrastou pela Câmara Municipal ao longo de várias reuniões. Na ordinária do dia 19 ele chegou a ser colocado em votação, mas faltou um voto do Executivo e um de seus vereadores pediu vistas. A tendência era empate de 6 x 6, com o presidente, Edmílson Seabra, que já havia antecipado posicionamento contrário votando pelo arquivamento. O pedido de vistas foi colocado em votação, confirmando o placar, mas, com o presidente dando seu voto pelo adiamento. Naquele dia a matéria teria sido derrubada caso o presidente negasse o pedido de vistas.

Na reunião seguinte, do dia 26, o dia foi marcado por boatos de que dois vereadores, representantes do distrito do Filó teriam mudado posicionamento. De fato, um deles chegou atrasado para a reunião e o outro não compareceu o que levaria o projeto à aprovação por 6 x 5. Numa manobra que deverá ser questionada judicialmente o presidente Seabra Campos não realizou a reunião alegando se tratar de projeto importante e que seria de fundamental importância a presença de todos os vereadores. Em outra manobra, os seis vereadores de apoio ao projeto realizaram uma reunião e aprovaram a matéria, mas, sem respaldo regimental.

Durante todo o dia de ontem os rumores envolvendo novamente o vereador Edmilson do Filó deixaram muita tensão para o plenário.  De fato, a mudança de comportamento foi comprovada em plenário.
Durante as discussões do projeto, houve sérios desentendimentos entre o líder do Prefeito, Fabinho Santana, e o presidente Seabra Campos. O presidente chegou a pedir a força policial para retirar o vereador do plenário. Após a votação, o projeto foi aprovado em primeira discussão e será levado novamente a plenário na reunião de segunda-feira. Centenas de populares participaram da reunião, parte deles alojados na frente da Prefeitura, com telão para acompanhar os trabalhos em função da lotação do plenário.

Encerrada a reunião, parte do público ficou aguardando a saída dos vereadores. Os sete vereadores tiveram de deixar o plenário sob  escolta policial. Houve resistência dos manifestantes, inclusive agressões por parte dos policiais, mas ninguém foi preso.

Chacotas

O vereador Edmilson do Filó virou chacota nas redes sociais. Na semana passada ela chegou a dar entrevista a uma emissora de rádio dizendo que faltara à reunião pelo fato de uma de suas vacas ter sido mordida por cobra e ao socorrê-la teve problema mecânico com a moto, o que inviabilizou sua presença. Nesta entrevista ele reafirmou sua postura contra o projeto e garantiu que estaria na votação seguinte. No plenário, o vereador começou enfatizando que por estar recente no cargo não tinha o conhecimento necessário sobre o projeto e que iria abster-se da votação. Isso fez com que a bancada da oposição entrasse como novo de vistas, que foi derrubado, inclusive com o voto do vereador. Na votação do projeto, ele que se absteria, acabou votando pela aprovação.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!